Outros

Entenda o que é e como funciona a TRI do ENEM!

março 1, 2021

Você já ouviu falar em TRI ENEM? Todo estudante deseja, sem dúvidas, dar o melhor de si na prova. Não é à toa que há tantos cursinhos, grupos e material de estudo disponíveis. Entretanto, é importante saber como se preparar para o exame. É aí que surgem alguns termos como é o caso da TRI (Teoria de Resposta ao Item), que consiste em um algoritmo utilizado para correção das provas.

De acordo com uma análise estatística, é possível trazer uma cultura de preparação para a prova, em detrimento do famoso “chute”. Saber disso é fundamental para evitar que estudantes simplesmente escolham qualquer alternativa, baseando-se em achismos, e acreditem que é possível obter uma boa média dessa forma. Com a TRI, é muito mais difícil contar com o “chutômetro”.

Quer entender melhor a TRI do ENEM e como ela funciona? Acompanhe nosso artigo abaixo sobre o assunto.

O que é exatamente a TRI do ENEM?

Estamos habituados ao modelo de correção que conta um ponto para cada acerto. Dessa forma, estudantes que acertaram a mesma quantidade de questões, terão automaticamente a mesma nota. O número de acertos nesse caso não é o único critério de correção, sendo que há uma análise mais profunda, que leva em conta a coerência entre o conjunto de respostas.

Quais são os critérios levados em conta?

O cálculo da TRI considera alguns critérios para avaliar o valor de cada questão. Dentre os principais, podemos citar:

Grau de dificuldade

Quanto maior o nível de dificuldade, maior o valor da questão. Estamos falando em termos de proficiência. Uma prova de qualidade é composta por questões de diversos níveis de dificuldade, de modo que o nível do candidato possa ser, de fato, avaliado.

Poder de discriminação

Cada questão avalia determinada habilidade. Entretanto, elas se diferenciam uma da outra pelo poder que têm de separar os alunos que dominam o assunto em questão daqueles que não dominam.

Possibilidade de acerto ao acaso

Vamos considerar um estudante que não domina a habilidade exigida na questão. De acordo com as alternativas, algumas representam uma maior possibilidade de acerto ao acaso do que outras. Isso também influencia no valor da questão, já que algumas parecem mais óbvias que outras.

De que forma a TRI influencia na sua nota?

A nota final do aluno está, inevitavelmente, atrelada à TRI. Ela muda a cada ano, permitindo uma avaliação mais precisa e detalhada de cada candidato. Assim, todos terão a mesma oportunidade, o que derruba o método “decoreba”. Outra questão relevante é o “chute”, de modo que ele fica invalidado nessa análise mais profunda.

Com a TRI ENEM, provas idênticas podem ser realizadas em datas diferentes, uma vez que não é possível colar sabendo apenas as alternativas corretas para cada questão. Assim, garante-se notas mais justas e coerentes, uma vez que o aluno precisa realmente saber o que está respondendo, para obter a pontuação proposta para cada pergunta.

Gostou do artigo? Então não deixe de nos seguir nas redes sociais para ter acesso a outros conteúdos igualmente relevantes. Estamos no Facebook, Instagram, LinkedIn e Twitter.

You Might Also Like

1 Comment

  • Responder 3 dicas de como fazer um cronograma de estudos para se dar bem no Enem - maio 7, 2021 at 12:59 pm

    […] se dar bem no Enem e em qualquer outro exame, é preciso mais do que ter conhecimento, é necessário disciplina, […]

  • Leave a Reply

    Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.